Os 3 Geraldos

2009

Lançamento: 2009

01DAIANE, A PRINCESA DOS TRÓPICOS

DAIANE, A PRINCESA DOS TRÓPICOS
GERALDO AZEVEDO E CARLOS FERNANDO

CANTA GERALDO AZEVEDO

DAIANE, A PRNCESA DOS TRÓPICOS
LÁ DE FRORESTAL
UMA GAROTA BONITA
SAPECA E ALEGRE
COMO O CARNAVAL
DANÇOU “BANHO DE CHEIRO”
NO PÁTIO DO ENGENHO
PULOU E CANTOU
NO SEU ANTIGO HABITAT
QUE UM DIA FOI DO SEU
TATARAVÔ
A SENZALA SE FOI COM O TEMPO
MAS DAIANE
NA TERRA FICOU
LIVRE, LIVRE
DA CHIBATA
DO MALDITO FEITOR
LIVRE, LIVRE
DA CHIBATA
DO MALDITO FEITOR
SALVE, SALVE
A PRINCESA DAIANE
SALVE, SALVE
RAUL, O SENHOR
SALVE, SALVE
A SINHÁ TATIANA
QUE EM NOITE DE LUA CHEIA
A PRINCESA FOTOGRAFOU

02GUAXUMA

GUAXUMA
GERALDO AMARAL E CARLOS FERNANDO

CANTA GERALDO MARAL

GRATIA PLENA
GUAXUMA LINDA
GRATIA PLENA
A TARDE AZUL
GRATIA PLENA
A DANÇA DOS ORIXÁS
HABITANTES DAS MATAS, DAS ILHAS
DOS MARES PRATEADOS
DO SOL ALAGOANO

GUAXUMA LINDA
VERDE CRISTALINA
COMO OS OLHOS DA MENINA
QUE VENDIA NA PRAIA
UMA FRUTA DOCE
CHAMADA BRINCO DE VIÚVA
QUE DEIXA A BOCA DA GENTE
ROXA, ROXINHA
COMO SE FOSSE UM BEIJO
ADOLESCENTE DE VERÃO

MACEIÓ
CALMARIA
BRISA LENTA VADIA
QUE ASSANHA OS COQUEIROS
QUANDO VARRE O FIM DO DIA

03CUBA DO CAPIBARIBE

CUBA DO CAPIBARIBE
GERALDO AZEVEDO E CARLOS FERNANDO

CANTA GERALDO MAIA

CUBA DO CAPIBARIBE
NA ILHA DO VELHO RECIFE
DOS RIOS CORTADOS DE PONTES
COMO DISSE CAYMMI
POETA E AMANTE

CUBA DO CAPIBARIBE
DAS MENINAS DENGOSAS
CUBA DO CAPIBARIBE
DOS RAPAZES DE OURO
CUBA DO CAPIBARIBE
DAS VOVÓS PRATEADAS
QUE DOS OLHOS VEM FOGO
QUERENDO TRADUZIR
MAMÃE EU QUERO
TUDO DE NOVO
QUERENDO TRADUZIR
MAMÃE EU QUERO
TUDO DE NOVO

04A CARA DE MANU

A CARA DE MANU
GERALDO AZEVEDO E CARLOS FERNANDO

CANTA GERALDO AZEVEDO

NOSSA CASA EM PENDOTIBA
NO MURIQUI PEQUENO
TEM A CARA TEM A CARA
TEM A CARA TEM A CARA
TEM A CARA DE MANU

NO JARDIM DO ÉDEN
EM PIRATININGA
LÁ NA CANTAREIRA
EM ITACOATIARA LINDA
TUDO ISSO BEM JUNTINHO
BONITINHO, AGARRADINHO
TEM O JEITO DE MANU
TUDO ISSO BEM JUNTINHO
BONITINHO, AGARRADINHO
DO JEITINHO DE MANU

NAS NOITES DA LAPA
EM COPACABANA
NA NOVA GÁVEA
NO FINAL LEBLON
TUDO ISSO BEM JUNTINHO
BONITINHO, AGARRADINHO
TEM O JEITO DE MANU
TUDO ISSO BEM JUNTINHO
BONITINHO, AGARRADINHO
DO JEITINHO DE MANU

05NINA E O PÁSSARO FALCÃO

NINA E O PÁSSARO FALCÃO
GERALDO AZEVEDO E CARLOS FERNANDO

CANTA GERALDO AZEVEDO

NINA, NINA, NINA, NINA
ETERNA NAMORADA
DO PÁSSARO FALCÃO
QUE ROMPENDO A MADRUGADA
POUSOU SUAVEMENTE
NO SEU COLO DE MANHÃ

NO JOGRAL
FECHANDO A NOITE
DE ADAUTO E PARANÁ
DO POETA GARIBALDI
DE CACHIMBO UNIVERSAL
EM SÃO PAULO DE VERGUEIRO
VANZOLINI E ADONIRAN
NO SOM DE CRISTAL
EM SÃO PAULO DE VERGUEIRO
VANZOLINI E ADONIRAN
NO SOM DE CRISTAL

06TARDES EM CASA FORTE

TARDES EM CASA FORTE
GERALDO AMARAL E CARLOS FERNANDO

CANTA GERALDO AMARAL

NAS TARDES PREGUIÇOSAS
EM CASA FORTE DO RECIFE
NO APARTEMANETO DE MUNIZ
ROLAVAM GARGALHADAS
RISOS E DRINQUES
ABENÇOADOS E SAUDADOS
PELOS ORIXÁS
DO MORRO DA CONCEIÇÃO

VISTA AQUI
DA JANELA PANORÂMICA
UMA IMAGEM
ADVERSA E URBANA
LÁ EM BAIXO
O BAR LARGURA
NO BAIRRO NOBRE
RESISTENCIA CULTURAL
PERNAMBUCANA

NO ALTO DA SANTA
CARENTE EM TODOS OS SENTIDOS
NOS BECOS
E NAS CASAS COLORIDAS
POBRES MAS ALEGRES
EM UM EXTENSO BRILHO
DE CETIM AZUL DE CARNAVAL

07TOTAL INFÂNCIA

TOTAL INFÂNCIA
GERALDO AZEVEDO E CARLOS FERNANDO

CANTA GERALDO AZEVEDO

QUEM NUNCA SENTOU
NUM BATENTE DE COZINHA
NÃO SABE O QUE É UMA CASA
NEM O CHEIRO QUE VINHA
DO FOGÃO
DAS PANELAS DE CORINA
FOI ASSIM

FOI ASSIM O SONHO
DA TOTAL INFÂNCIA
NA CASA DOS MEUS AVÓS
ERA UM SÍTIO
LINDO E BREJEIRO
DE NATUREZA RARA

LEMBRANÇAS DE TODOS NÓS
DA CASA DE FARINHA
DO POMAR NO BRILHO DO SOL
DAS OVELHAS E SUAS CRIAS
QUE PASSAM BALANÇANDO
SEUS SINOS AGUDOS DE BRONZE
ENTOANDO QUEM SABE
UMA LINDA CANÇÃO

NOITES CLARAS NA VARANDA
OUVINDO ANTIGAS HISTÓRIAS
QUE O TEMPO JÁ CARREGOU
ADORMECIA E SONHAVA
COMO UM PRINCÍPE ENCANTADO
NO COLO DE MÁRIA DE BARROS
MINHA AVÓ, UMA ÍNDIA CABOCLA
DOS CONFINS DE GONÇALVES
FERREIRA
MINHA AVÓ, UMA ÍNDIA CABOCLA
DE GONÇALVES FERREIRA
DOS CONFINS

NO OUTRO DIA ACORDAVA
FAZIA O SINAL DA CRUZ
MOLHAVA OS PÊS NO RIACHO
CORRIA PELAS CAMPINAS
ATRÁS DOS PASSOS
DAS BOTAS SURRADAS DO MEU AVÔ
HOMEM DE POUCAS PALAVRAS
TINHA UM RISO DE TERNURA
PELA TERRA, UMA PAIXÃO.
EM NOSSO LENTO CAMINHAR
NAS TARDES PREGUIÇOSAS

DE VOLTA PARA CASA
SEMPRE SEGURANDO A MINHA MÃO
CANTAROLAVA UMA CANÇÃO ALEGRE
FESTEJANDO O FIM DO DIA
SEMPRE SEGURANDO A MINHA MÃO
CANTAROLAVA UMA CANÇÃO ALEGRE
FESTEJANDO O FIM DO DIA
FESTEJANDO O FIM DO DIA

08JUJU JULIETA

JUJU JULIETA
CARLOS FERNANDO

CANTA GERALDO AZEVEDO

JUJU JULIETA
MINHA BRANCA MINHA PRETA
COMO VAI VOCÊ?
EU VOU INDO MUITO BEM
APESAR DOS PESARES
EU SÓ ME SINTO UM POUCO CARETA
JUJU JULIETA
ME DIGA LOGO COMO VAI O JÔJÔ
SAIU DE CASA TODO ENFEITADO
FALOU DONA CELESTE
E AINDA NÃO VOLTOU
MAS É ASSIM QUE EU QUERO VER
SUA CAMISA TODA MOLHADA
SUA SANDÁLIA TODA EMPOEIRADA
NUM SAMABA QUENTE A TODO VAPOR

E A CENTRALIANA MARIA BETÂNIA
COM SEU REQUEBRADO

ALÔ ALÔ TODO MUNDO DO BALACOBACO
ME DIGA ALGUMA COISA MONSIEUR BARTÔ

09DONA GIL

DONA GIL
GERALDO AZEVEDO / CARLOS FERNANDO

CANTA GERALDO MAIA

DONA GIL GIL
DO BODE DOURADO
DO CABEÇA BRANCA
DA ENCRUZILHADA
DO RECIFE NU
DONA GIL GIL
A ALQUÍMIA DO TEMPERO
DA SUA COZINHA
O VENTO ESPALHA
E O CHEIRO CHEGA
NA MUSTARDINHA
NUM PAGODE ALEGRE
QUE É TÃO BRASIL
DONA GIL GIL
SUA COZINHA FAZ INVEJA AO PAPA
E A CORTE BRITÂNICA
DA REAL RAINHA
DONA GIL GIL
AONDE ANDA A MINHA AMIGA SIL?
E MEU AMIGO FRED VALENÇA,
QUE É TÃO GENTIL?
DONA GIL
ENTÃO ME DIGA
COMO VAI MANECO?
QUE A ESSA HORA
DEVE ESTAR COM O BODE
MOLHANDO O BICO
EM QUALQUER BOTECO

10TEREZINHA DE CARUARU

TEREZINHA DE CARUARU
GERALDO AZEVEDO / CARLOS FERNANDO

CANTA GERALDO AZEVEDO

TEREZINHA
TEREZINHA DE CARUARU
NASCEU EM CASA FORTE
MORA PERTINHO DE BELO
DO FITEIRO AZUL
TEREXINHA
EM RECADO PARA VALDEMAR
BELO NÃO MORREU
BELO É UMA SEMENTE
AFRICANA E FÉRTIL DE UM ORIXÁ
TEREZINHA
O NOSSO AMOR É LINDO
TEREZINHA
DÊ UM ALÔ
PARA OS PERNAMBUCANOS
DA A MÃE PRETA AMARA
NO BRASIL QUINHENTOS ANOS

TEREZINHA

11ESTRADA DO ARRAIAL

ESTRADA DO ARRAIAL
GERALDO AZEVEDO E CARLOS FERNANDO

CANTA GERALDO AZEVEDO

ESTRADA DO ARRAIAL
TAMARINEIRA VILLAGE
ESTRADA DO ARRAIAL
TAMARINEIRA VILLAGE
ONDE NASCEU UMA CRIA
CHAMADA AVE SANGRIA
QUE FEZ O SEU CANTO E VOOU
PELO SÍTIO DA TRINDADE
NOS BOULEVARDS DA CIDADE
NA BRISA LEVE DOS MARES
DA ZONA SUL
AVE BONITA QUE SE FOI
E QUE A TODOS ENCANTOU

ESTRADA DO ARRAIAL
TAMARINEIRA VILLAGE
ESTRADA DO ARRAIAL
DO MEU AMIGO LULA
DE SEVERINA SAPATEIRA
DO PORTEIRO FRANCISCO
DA MINHA AMIGA SIMONE
DA PADARIA FRANCESA
CIDADE JARDIM
ESTRADA DO ARRAIAL
PASSADO PRESENTE E FUTURO

12GÊNIO CRU

GÊNIO CRU
GERALDO AZEVEDO / CARLOS FERNANDO

CANTA GERALDO AZEVEDO

CRIADO ENTRE O GÊNIO CRU
MORRI SEM VINGAR AS MÁGOAS
QUANDO ATRAVESSEI AS ÁGUAS
BARRENTAS DO PAJEU
UM CABÔCO SEMINU
QUE APRENDEU A LUTAR
COM TÉCNICA RUDIMENTAR
FIZ A GUERRILHA PRIMEIRA
SOU VIRGULINO FERREIRA
APENAS UM POPULAR

PEÇO A TODOS OS MEUS SANTOS
QUE PERDOEM MEUS PECADOS
QUE EM TROCA MANDAREI
UM CORAÇÃO APAIXONADO
PELO OLHOS DE MARIA
PELAS JÓIAS NO BORNAL
REDE BRANCA NAS CATIMGUEIRAS
LONGAS NOITES PARA AMAR
AS VEZES INTERROMPIDAS
PELOS FUZIS A CLAREAR